terça-feira, 28 de dezembro de 2010

The City of Ember


            Mais ou menos um ano atrás eu estava no Rio de Janeiro, e peguei um filme na locadora do meu primo. O filme se intitulava ‘A Cidade das Sombras’. Quando eu voltei para Juiz de Fora, com as dezenas de filmes que eu tinha gravado do meu primo, eu peguei ‘A Cidade das Sombras’ e fui assistir. O filme era realmente muito bom, cheio de cenas de tirar o fôlego do início ao fim. Nos créditos finais do filme, eu vi que era baseado em um livro, e corri para a internet, para saber mais sobre a história de Lina e Doon.


            Realmente existia o livro, da autora Jeanne DuPrau, e além do primeiro, existiam três outros livros, formando a séria. Mas aí veio a notícia ruim: só o primeiro havia sido publicado no Brasil. Entrei em contato com a editora, e eles disseram que as sequências não seriam publicadas, porque o primeiro volume e o filme não fizeram muito sucesso no Brasil. Obviamente fiquei desapontado, e desisti de ler o livro, já que não teria chance de ler as sequências. Mas no início de Dezembro desse ano um amigo estava vindo dos Estados Unidos para passar o natal no Brasil, e eu mandei dinheiro para ele, para que ele comprasse os livros lá, e trouxesse para mim. Os livros chegaram semana passada aqui, e em dois dias eu li o primeiro volume.


            A história do livro é bem diferente do filme. Não há nenhuma mudança drástica, que impeça que façam filmes dos próximos livros, como ocorreu com o Percy Jackson, mas algumas coisas mudaram bastante, como o final, que fizeram de forma mais emocionante no filme, para causar mais ação, enquanto no livro, a ação ficou na parte antes da fuga dos personagens, e foi mais psicológica.
            De qualquer forma, eu indico o livro e o filme. Mesmo quem não consegue ler em inglês, vale à pena ler só o primeiro volume, e quem consegue, os livros estão disponíveis na internet para download em inglês (eu mesmo os disponibilizei para download no 4shared). Não sei se o filme é fácil de encontrar para locação, mas nada que a BlockBuster não resolva.


            Então é isso pessoas, pra quem for seguir as dicas, boa leitura e bom filme. O filme chama “A Cidade das Sombras”, que tem o mesmo título do primeiro volume em português. Em inglês os títulos são: The City of Ember; The People of Sparks; The Prophet of Yonwood; The Diamond of Darkhold.

The Vampire Diaries



            Pessoas, comecei a ver hoje a série The Vampire Diaries. Confesso que fiquei bem surpreso com o resultado das filmagens. Desde que os livros começaram a ser lançados no Brasil, eu os leio, mas confesso que eles não prendem muito a minha atenção.
            Mas a série tem um toque bem diferente dos livros tediosos. Apesar de terem eliminado a Meredith na série, que é uma personagem que eu gostava bastante no livro, e de terem inventado um irmão que a Elena não tem, eliminando a irmãzinha criança dela, a série ficou bem legal.
            O que eu gostei bastante foi a mudança do visual dos personagens, colocando a Elena morena, em vez da loura clichê, e mudando os visuais de cabelos grandes e pretos anos 80 do Stefan e do Damon, para cabelos curtos e na moda. Os efeitos especiais da transformação em vampiro dos irmãos é meio antigo, remetendo ao Drácula, mas não sei se isso é bom ou ruim. Só vi um episódio ainda, e não sei se aquelas caras e bocas vão ficar legais ou imbecis.
            Só sei que eu gostei bastante da série, amei a escolha do elenco, só gente bonita. Cara, a Bonnie, eu nunca a imaginei negra, mas ficou perfeito e combinou muuuuito com ela. A Elena tem uma beleza comum, mas agradável. Não gostei muito da Vickie e do Matt, principalmente por serem irmãos na série, o que não tem nada a ver. Também é estranho o Stefan morar com um cara velho, que o chama de tio, mas que ele fala pra todo mundo que é seu tio, o que fica um pouco confuso. Mas o principal, que é o triângulo Stefan, Elena, Damon, ficou perfeito.
            De qualquer forma eu super indico a série, que eu com certeza vou continuar assistindo. A série promete bem mais ação que o livro, e ele ficou mesmo devendo ação.
            Bom, então é isso, boa série para quem for assistir.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A moda no inferno é salto alto


            Não há filme mais deleitoso que O Diabo Veste Prada. Ontem o filme estava passando na TV, e eu o vi, pela milésima vez. Depois que o filme terminou, fiquei com uma vontade imensa de reler o livro, e não hesitei, fui até a estante, peguei o livro, e comecei a relê-lo instantaneamente.
            A primeira vez que eu li O Diabo Veste Prada faz bastante tempo, foi em meados de 2007, quando o comprei na Bienal do Livro, no Rio. Eu não lembrava que o livro era tão diferente do filme, mas ambos são espetaculares, cada um a sua maneira. Poucas pessoas (as de sorte) leram o livro no Brasil, então não vou perder tempo falando das diferenças entre livro e filme, pois elas não tornaram em nada menos grandioso o filme estrelado por Anne Hathaway e Meryl Streep. Tá, só vou contar uma coisa: o namorado da Andy se chama Alex no livro, e Nate no filme. Mas não vou falar que Andy devia ser loura, e Nigel devia ter dois metros e dez.
            Alguns detalhes realmente fazem a diferença do livro para o filme, como os finais dos dois, que são extremamente diferentes. Na primeira vez que li, preferi o fim do filme, por ser mais feliz (emprego e Nate/Alex), mas agora realmente não sei qual final é mais bafo.
            Algumas coisas mudaram desde que li o livro em 2007, para agora, principalmente em mim. Começa por eu ter 15 anos quando li pela primeira vez, e ter 19 agora. Outra diferença é a presença de palavras e expressões em outras línguas, que na época eu não entendi, e que agora fazem parte de meu vocabulário, como cool (inglês. superlegal, ou descolado), e Kitsch (alemão. Brega). Claro que na época eu também não sabia o que era estar no Upper East Side (confesso, Gossip Girl me ajudou nessa). Mas o principal é a moda.
            Na primeira vez que li O Diabo Veste Prada, tenho vergonha disso, mas tive que pesquisar no Google o que era Prada. Tipo, Prada é o sonho de todas as pessoas que se vestem bem. Uma gravata, uma bolsa ou um sapato Prada são, tipo, tudo! Os outros nomes então eu nunca nem sonhara. D & G, Gucci, Armani, Manolo Blahnik, Jimmy Choo, Louis Vuitton, Diane Von Furstenberg, Hugo Boss, Diesel, Chanel, Tommy Hilfiger, etc, etc, etc. E graças a uma amiga que não para de falar nisso, eu até sei o que é um batom Mac.
            Uma coisa que mudou bastante também foi o tempo de leitura, por causa da maturidade, acho. Na primeira vez, li em três longos meses; na segunda, em apenas um dia e meio. Só que de uma coisa eu sei. Lauren Weisberger é o cara! Já reli vários livros, mas esse foi o primeiro que eu fiquei ansioso para chegar ao final nas duas vezes, que mesmo sabendo o que ia acontecer, eu perdi o fôlego em muitas partes (quase todas) do livro. Simplesmente incrível, e eu superindico!
            Todo mundo (pelo menos todo mundo que tem vergonha na cara) já viu o filme, mas aconselho que leiam o livro, pois putz, é amazing, awesome, e sei lá mais o quê!
            Ah, e não se esqueçam, quando forem procurar um emprego, se alguém disser: “Milhões de garotas dariam a vida por esse trabalho”, tomem cuidado, pois o “emprego dos sonhos vem com um pesadelo de chefe”.
            “Isso é tudo”.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Awakened

Saiu uma nova frase do livro 8 de House of Night.

"Olha só. Nós não temos tempo para ficar todos sensíveis em relação aos sentimentos da Zoey.
Ela precisa colocar a calcinha de gente grande de Alta Sacerdotisa e pronto".
- Aphrodite.

sábado, 20 de novembro de 2010

The Walking Dead


Gente, comecei a ver essa série, e é realmente muito boa! Depois que  a série LOST acabou, eu pensei que nenhuma outra a substituiria, mas The Walking Dead veio com tudo, e promete ser a série da década!


A série é sobre zumbis, e eles são muito reais! Os efeitos especiais são perfeitos!


Na série há conflitos reais, que não a deixam presa somente à ficção!


Sinopse:
O mundo que conhecíamos não existe mais. Uma epidemia de proporções apocalípticas varreu o mundo fazendo os mortos levantarem e se alimentarem dos vivos. Em questão de meses, a sociedade se desintegrou. Em um mundo dominado pelos mortos, somos forçados a finalmente começar a viver. Baseado na série de quadrinhos de Robert Kirkman, essa série centra-se no mundo após um apocalipse zumbi.


Clique aqui para assistir o trailer.

sábado, 13 de novembro de 2010

Video

Pessoas, fiz um video, e vou colocar aqui para que vejam. Se gostarem, posto outros. Abraços.
video

Awakened

Não resisti. Dêem uma olhada no que vem em Awakened.

"Quer saber de uma coisa, Erik? Tudo que eu vou dizer é: mal vence quando o pessoal que é do bem não faz nada". - Stevie Rae.
---------
“Meu amor, fala comigo. Conte-me tudo”. Neferet foi até Kalona, ajoelhando-se diante dele, acariciando as macias e escuras asas que estavam frouxamente abertas ao redor do imortal.
“O que você quer que eu diga?” Ele não encontrou os olhos dela.
“Zoey está viva”. A voz de Neferet estava sem emoção, sem vida, fria.
“Sim, ela está viva”.
“Então você me deve a subordinação de sua alma imortal”. Ela começou a se afastar dele.
“Onde você está indo? O que vai acontecer agora?”
“É bem simples. Eu vou garantir que Zoey tenha que voltar para Oklahoma. Lá, sob meus próprios termos, vou completar a tarefa em que você falhou”.
---------
Exonerada pelo Alto Conselho dos Vampiros e retornada ao seu posto de Alta Sacerdotisa na House of Night de Tulsa, Neferet jurou vigança contra Zoey. O domínio sobre Kalona é apenas uma das armas que ela planeja usar contra Z. Mas Zoey encontrou um santuário na Ilha de Syke e ela está sendo preparada pela Rainha Sgiach para tomar conta de lá. Ser Rainha seria legal, não seria? Por que ela deveria voltar para Tulsa? Após perder seu consorte humano, Heath, ela nunca mais será a mesma – e sua relação com seu super – gato – guerreiro, Stark, pode ser que nunca seja mais a mesma, também...
E quanto à Stevie Rae e Rephaim? O Corvo Escarnecedor se recusa a ser usado contra Stevie Rae, mas que escolha ele tem quando ninguém no mundo inteiro, incluindo Zoey, iria ficar de boa em relação ao relacionamento deles? Ele trai seu pai ou seu coração?
No emocionante 8º livro da série House of Night, uma das mais vendidas, quanto os laços de amizade irão se estender e quão forte serão os laços que ligam o coração de uma garota a alguém?

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Meus projetos


Em breve estará de volto, com muito mais emoção, mais entrigas, e muito mais diversão. A história estava um pouco parada, mas já estou trabalhando nela, e em breve saem novos capítulos.


Em breve também estreia:


Um garoto. Um acidente. A mudança completa de uma vida.
Conheçam a história de um garoto meio perdido, que se sente fora de seu tempo.
BREVE.

Você já pensou em dançar?



            Essa semana fui a uma festa no meu antigo colégio, e teve um espetáculo de dança lá.  Fiquei chocado com o que vi. Eu sempre achei dança muito legal, e sempre via em clipes musicais, mas dança com interpretação é muito mais incrível! Algumas pessoas são bem preconceituosas quando se trata de dança, e falam que isso é coisa de mulher, e tal; mas quando essas mesmas pessoas vêem shows de street dance, enlouquecem e acham tudo super cool.


            Eu tiro meu chapéu pra quem dança bem, pois dançar é difícil, e requer um esforço imenso, além de um bom condicionamento físico. Um dia eu pretendo aprender a dançar, pois acho legal demais. Para mim, todo tipo de arte é válido, e a dança é uma das maiores artes do mundo. Eu sou uma pessoa que faz tudo, e não decide o que quer fazer; pinto, desenho, escrevo, atuo, toco flauta, e agora estou pensando em dançar.


            Eu não faço o estilo bailarino, ou dançarino clássico, mas sempre achei legal dança de rua, dança irlandesa, alemã, e algumas outras. Já fiz contato com um dos dançarinos que fizeram a apresentação, ele foi meu professor de “expressão corporal” em 2003, e tô pensando em fazer algumas aulas. Quem sabe eu não viro um psycho ou street dancer? Vontade é o que não falta, só falta ver se as aulas vão caber no meu orçamento.